iiiiiiiiiii

Regras para motoboy e mototaxista começam a valer na semana que vem




A partir da semana que vem motoboys e mototaxistas de todo o país vão ter que mudar de comportamento no trânsito.
A lei de 2009 começa a ser aplicada na prática, a partir do dia quatro de agosto. O motoboy ou mototaxista que não cumprir as novas regras leva multa, que dependendo da infração pode ser grave. O condutor perde até cinco pontos na carteira e a moto pode ser apreendida.
Com as novas exigências, só pode trabalhar quem tiver o curso que ensina as regras de conduta e segurança para as duas profissões.
“Esse curso reprova se o aluno não atingir a média mínima ou se ele for reprovado na aula prática e não conseguir executar os exercícios com perfeição”, diz Berto Carvalho, instrutor de trânsito.
Para ser motoboy ou mototaxista é preciso:
- ter 21 anos e ter habilitação na categoria A há pelo menos 2 anos;
- a moto deve ser registrada na categoria aluguel, com placa vermelha;
- também devem ser instalados protetor de pernas e aparador de linha;
- os produtos não podem ser transportados em mochilas, apenas baús ou grelhas;
- água e gás só podem ser transportados com reboque;
- o veículo deve passar por uma inspeção semestral.
O motociclista deve usar capacete com viseira de cristal e adesivo refletivo, e colete sinalizador.
As mudanças são para diminuir o número de acidentes. Wanderson Negreiro Leite trabalha como entregador de gás. No início do mês bateu em outra moto. Ele quebrou o pé e vai ficar 40 dias sem trabalhar. “A gente trabalha mais seguro com os equipamentos, por isso estou fazendo o curso para não sofrer mais acidentes”, comenta.
No ano passado, em todo o Brasil, 14 mil pessoas foram aposentadas por invalidez causada por acidente de moto. Os equipamentos básicos de segurança como capacete, joelheira, cotoveleira e luva podem evitar que o acidentado tenha uma lesão grave.
O maior hospital público de Pernambuco, no ano passado, atendeu 1.300 pacientes vítimas de acidentes com moto. Quatrocentos e cinquenta e cinco estavam trabalhavam como mototaxistas ou motoboys na hora do acidente. Cento e quarenta e três deixaram o hospital com algum tipo de paralisia ou amputação.
“Esses novos equipamentos que estão sendo agora regulamentados por lei vão diminuir em muito as sequelas graves e definitivas nos acidentes de moto”, comenta João Veiga, Comitê Estadual de Prevenção aos Acidentes de Moto.
fonte jornal hoje 26/07/2012 15h22 veja o vídeo > aqui <

receba atualizações por emails